segunda-feira, 29 de abril de 2013

Polvo no forno com manjericão

Muita gente tem medo de cozinhar polvo porque muitas vezes ele fica rijo. É um facto. Eu quase que rezo em frente ao fogão para que ele fique macio e tenrinho, tal como nós merecemos... :)
Não me tenho saído mal e não tenho nenhum truque especial. Não o cozinho com a cebola, nem com bicarbonato nem com nada dessas mezinhas que dizem funcionar. Ponho o polvo na panela com água a ferver e deixo cozer. Sem sal, sem azeite, sem coisa nenhuma. Só água. E fica maravilhoso.
Os temperos, esses vêm depois....

1kg de polvo fresco (não comprem com pesos inferiores, porque o polvo mirra muito)
750 g de batata nova para assar (aquelas de casca branca, pequeninas)
3 dentes de alho
azeite a gosto
sal q.b.
pimenta preta q.b.
manjericão fresco a gosto
manjericão seco a gosto

Coza o polvo em água fervente até este ficar macio e tenro (vá experimentando com um garfo). Eu cozi por cerca de 1h30.
Entretanto num pirex disponha as batatas com casca, bem lavadas. Dê-lhes uns golpes, não muito fundos, para assarem melhor e mais depressa. Tempere com azeite, sal e manjericão seco. Leve ao forno a 180ºC e vá verificando com um garfo a sua cozedura.
Quando o polvo estiver tenro, retire-o da água, separe os tentáculos uns dos outros e da cabeça.
Disponha num pirex e tempere com sal e pimenta. Num liquidificador, junte azeite, manjericão fresco e os dentes de alho. Regue o polvo com este preparado e leve ao forno por cerca de 10 min a 180ºC.
Sirva quente! :)

A minha fotografia ficou totalmente desfocada... e eu só reparei já tinha comido o polvo. Por tal esta que se segue é meramente ilustrativa.

Lidl


2 comentários:

  1. Que delicia Marta 5 estralas certamente vou experimentar, eu pessoalmente prefiro polvo congelado não os que se vendem nos hipers mas da praça ou quando tempo tempo de andar rocha em rocha á procura dos meninos, deixo uns 6 meses congelados embebidos em água do mar ficam super macios.

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que gostaste!
    Fico contente.
    Hei-de experimentar como dizes, então, apesar de não ser fã de congelar nada...

    Beijinhos!

    ResponderEliminar